11/jan/2018 18h01

Decreto de Temer elimina 60,9 mil cargos públicos federais

Em Goiás, a medida afeta instituições de saúde e educação.
Extinção de cargos públicos - 11/jan/2018 18h01

Seguindo em frente com o projeto de desmonte do Estado e abrindo as portas para a privatização no serviço público, o presidente Michel Temer assinou decreto que elimina 60,9 mil cargos de servidores públicos federais. A medida abrange todo o Executivo.

A norma já passa a valer a partir desta quinta-feira (11) com a publicação na edição no “Diário Oficial da União”. O decreto também veda a abertura de concurso público para diversos outros cargos. No caso de concursos que estão em andamento, a medida barra quaisquer possibilidades de aproveitamento em vagas posteriores, além das previstas nos editais. Ou seja, elimina o cadastro de reserva. Com essa redução de servidores, em Goiás, as principais instituições públicas federais como a UFG, incluindo o Hospital das Clínicas, o IFG e o IF Goiano serão afetados. Nessas instituições, as direções analisam a dimensão do impacto.

Fátima dos Reis, coordenadora geral do SINT-IFES (Sindicato dos Trabalhadores Técnico-Administrativos em Educação das Instituições Federais de Ensino Superior do Estado de Goiás), afirma que na próxima semana, dia 29, a categoria irá discutir os impactos da medida em uma reunião “já agenda no Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG), para debater os pontos onde estamos sendo afetados no estado de Goiás, já que teremos uma menor qualidade na prestação dos serviços públicos”.

Para alguns desses cargos já não havia concursos há mais de 20 anos, provocando drástica redução de pessoal, como auxiliares de limpeza, motoristas e seguranças para as instituições federais de ensino.

Fonte: Assessoria de Imprensa