10/jan/2018 11h01

Garota-propaganda mirim se suicida após bullying na Austrália

A menina era garota-propaganda de uma marca de chapéu australiana.
suicidio - 10/jan/2018 11h01

Ícone de uma famosa marca de chapéu da Austrália, uma garota de 14 anos chocou o país ao tirar a própria vida. Segundo a família de Ammy “Dolly” Everett, ela se matou depois de ser vítima de bullying. Em um postagem no Facebook, o pai da garota, Tick Everett, fez um apelo para que se tenha mais consciência sobre o problema, para que a trágica história da filha “não seja desperdiçada”.

Dolly era garota propaganda da Akubra, tradicional marca de chapéu australiana. A empresa, além de expressar condolências, também fez um apelo para que as pessoas “se ergam” contra qualquer tipo de bullying.

Na Austrália, uma em cada cinco crianças diz que já sofreu bullying.

No emotivo texto que postou nas redes sociais, o pai da modelo não dá detalhes do tipo de violência a que Dolly foi submetida. Mas afirmou que houve bullying, e que ela queria “escapar do mal desse mundo”. Ele disse esperar que a atenção dada à morte da filha na semana passada “ajude a evitar que outras vidas preciosas se percam”.

Convite para funeral

Everett convidou para o funeral da filha aqueles que praticam repetidos atos de violência física e psicológica contra Dolly.

“Se, por acaso, as pessoas que pensaram que era só uma piada e que se sentiram superiores pelo bullying e assédio constantes virem essa postagem, por favor, venham à cerimonia e testemunhem a ruína que criaram”, escreveu o pai.

A família divulgou um comunicado à imprensa dizendo que Dolly era “a alma mais gentil, atenciosa e bela”. “Ela estava sempre cuidando de animais, crianças pequenas e de outras crianças menos afortunadas na escola”.

A família compartilhou ainda um desenho recente feito pela filha, mostrando uma figura magrinha inclinando-se para traz com os dizeres: “Fale mesmo se sua voz tremer”.

“Essa mensagem poderosa indica o lugar escuro e assustador para onde nosso lindo anjo viajou”, diz o texto.

De acordo com a emissora australiana ABC, a família também disse que gostaria de criar um fundo para ajudar a conscientizar sobre bullying, ansiedade, depressão e suicídio juvenil: ‘Dolly poderia ser a filha de qualquer um’.

Fonte: UOL