07/dez/2017 18h12

Operação no Terminal Padre Pelágio acaba em confusão

Foram encontrados facas com os “camêlos”, este pode ter sido a razão de alguns crimes que ocorreram nos Terminais.

Fiscalização Urbana - 07/dez/2017 18h12

Nesta quarta-feira (6/12), a Rede Mob Consórcio realizou uma operação no Terminal Padre Pelágio que acabou em confusão.

O objetivo da ação foi combater os comércios ilegais nos Terminais do Eixo Anhanguera, liderada pela Fiscalização Urbana, com apoio da Guarda Civil Metropolitana, PM e CMTC.

Durante a operação, foram encontradas facas com alguns dos camelôs, o que, segundo Rede Metropolitana de Transporte Coletivo (RMTC), comprova que estas pessoas estão relacionadas com os diversos crimes que ocorreram nos Terminais.

O que motivou a confusão foi o impedimento da entrada de vendedores ambulantes no Terminal.

Segundo Aguinaldo Lima, gerente de fiscalização de atividades econômicas,  da Secretaria Municipal de Planejamento Urbano e Habitação (Seplanh),  as fiscalizações são constantes nos terminais e a ação realizada ontem, contou com a ajuda da Guarda Civil Metropolitana e da Polícia Militar, pois de acordo com o mesmo, locais com grande fluxo de pessoas é mais propicio de haver tumulto.

Referente as ações dos guardas, à RMTC emitiu uma nota. “Todos os vigilantes que atuam no Eixo Anhanguera são devidamente treinados e orientados a agir com total responsabilidade, afim de proporcionar maior segurança aos clientes que utilizam os Terminais. Hoje, infelizmente os vigilantes tiveram que reagir diante das agressões e ameaças praticadas pelos camelôs. O RedeMob Consórcio reitera que repudia qualquer ato de violência e que trabalha para melhorar continuamente o serviço de Transporte Público da Região Metropolitana de Goiânia.”

Nota RMTC sobre protesto de ambulantes no Terminal Padre Pelágio, nesta quarta-feira (6/12): O comércio ilegal feito por camelôs nos Terminais do Eixo Anhanguera é um gravíssimo problema público, pois além de ser ilegal, contribui diretamente para a saturação do ambiente, desorganização e criminalidade no local. Dificulta muito a realização do serviço de transporte coletivo. Vale lembrar que os terminais são equipamentos públicos para uso da população. Acreditamos que a solução do problema passa diretamente pela atuação integrada da fiscalização urbana, guarda civil, polícia militar, CMTC e apoio do Ministério Público. Cabe ao RedeMob Consórcio, em nome da Metrobus, providenciar a limpeza, organização, ações em prol da segurança das pessoas e operação das viagens no Eixo Anhanguera. Em relação à operação de hoje (6) no terminal Padre Pelágio, o RedeMob Consórcio esclarece que, trata-se de uma ação pública integrada de combate ao comercio ilegal nos Terminais do Eixo Anhanguera, liderada pela Fiscalização Urbana, com apoio da Guarda Civil Metropolitana, PM e CMTC. Na operação de hoje foram encontradas armas brancas com alguns camelôs, o que comprova que estas pessoas estão relacionadas com os diversos crimes que vem ocorrendo nos Terminais. Por último, todos os vigilantes que atuam no Eixo Anhanguera são devidamente treinados e orientados a agir com total responsabilidade, afim de proporcionar maior segurança aos clientes que utilizam os Terminais. Hoje, infelizmente os vigilantes tiveram que reagir diante das agressões e ameaças praticadas pelos camelôs. O RedeMob Consórcio reitera que repudia qualquer ato de violência e que trabalha para melhorar continuamente o serviço de Transporte Público da Região Metropolitana de Goiânia. #operaçao #ambulantes #comercio #ilegalidade #goiania #goias #padrepelagio #terminal #onibus #populaçao #protesto #Atualize #DiaOnline

A post shared by Dia Online (@portaldiaonline) on

Por: Vanessa Cortes