06/dez/2017 10h12

Justiça não afastará Moro de processo que envolve Lula

A defesa do ex-presidente havia feito outras tentativas nos meses de setembro e outubro.

Lava Jato - 06/dez/2017 10h12

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) indeferiu, nesta terça-feira (5/12), pedido de suspeição da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva contra o juiz federal Sérgio Moro.

O pedido está relacionado ao processo que apura a propriedade do apartamento utilizado pelo ex-presidente e sua família em São Bernardo do Campo.

Na petição, o advogado Cristiano Zanin alegou que Moro é parcial na condução do processo.

Em nota, a assessoria de defesa de Lula diz que “Os fatos que apresentamos não deixam dúvida de que o juiz perdeu não apenas a imparcialidade para julgar o ex-presidente Lula, como também a aparência de imparcialidade, que também é relevante para assegurar a legitimidade dos julgamentos realizados pelo Poder Judiciário”.

A defesa fez outras tentativas, em setembro e outubro, e todas foram negadas.

Referente ao último pedido da defesa, o desembargador federal João Pedro Gebran Neto, relator dos processos da Lava Jato no tribunal, disse que as causas de suspeita já foram invocadas pela defesa em outros feitos, “havendo mera repetição de razões”.

“Há que se ter bem claro que o juiz não é parte no processo, tampouco assume a posição de antagonista com relação a qualquer investigado ou réu. A insatisfação do réu com relação às decisões do Juízo não estão sujeitas ao escrutínio sob a perspectiva da imparcialidade, não sendo suficiente para o afastamento do magistrado a livre interpretação da parte com relação aos acontecimentos”, concluiu o desembargador.

Por: Vanessa Cortes