03/dez/2017 16h12

Caminhão do Corpo de Bombeiros invade Esplanada dos Ministérios

Os bombeiros e a Polícia Militar informaram que o homem aparentava estar “em surto psicótico”.

surto - 03/dez/2017 16h12

O segundo sargento do Corpo de Bombeiros F. Marcos, de 44 anos, que furtou um caminhão da corporação na madrugada deste domingo (3/12), afirmou no rádio comunicador da viatura que a intenção dele era chegar até o Congresso Nacional.

“No Congresso Nacional, eu paro. Não vou matar ninguém. Não vou atropelar ninguém. Não vou passar por cima de ninguém. No Congresso Nacional, eu paro”, disse o militar.

Áudios obtidos pela reportagem revelaram também a negociação durante a perseguição. Em certo momento, o homem, nervoso, chega a falar que, se a polícia atirar, ele “vai atropelar todo mundo”.

Lotado no 8º Grupamento de Bombeiro Militar (GBM), F. Marcos furtou o veículo em um quartel em Ceilândia Norte e fugiu em alta velocidade. Ele seguia pela via Estrutural, no sentido Plano Piloto, quando os policiais militares iniciaram a perseguição. A ação ocorreu por volta da 1h50. Cerca de 15 carros da PM seguiram o caminhão. Ninguém se feriu.

Os bombeiros e a Polícia Militar informaram que o homem aparentava estar “em surto psicótico”, e percorreu cerca de 30 quilômetros até chegar próximo ao Congresso Nacional. Equipes da polícia deram diversas ordens para que o bombeiro estacionasse a viatura, mas, como ele não obedeceu, os policiais dispararam nos pneus traseiros na tentativa de deter o condutor.

Após os tiros, o bombeiro perdeu o controle do veículo, que atingiu o meio-fio e parou. Os policiais conseguiram retirar o homem de dentro do caminhão e o conduziram ao quartel da corporação. No local, ele recebeu voz de prisão e foi levado à 5ª Delegacia de Polícia (Área central).

O sargento foi encaminhado ao Instituto de Medicina Legal (IML) para exame clínico. Procurados, a Secretaria de Segurança Pública e da Paz Social o Corpo de Bombeiros não responderam a reportagem até a publicação desta matéria.

Assista ao vídeo:

Fonte: Metrópoles - DF