03/nov/2017 15h11

Xbox One X chega ao Brasil em dezembro

Ao custo de R$ 4 mil, a principal novidade do videogame é resolução nativa 4K.

game - 03/nov/2017 15h11

O Xbox One X, “console mais poderoso do mundo”, será lançado no próximo dia 15 de dezembro no Brasil, custando R$ 4 mil. De acordo com a Microsoft, fãs poderão reservar unidades do console nas grandes redes varejistas a partir da próxima terça-feira, 7 de novembro – mesmo dia em que o videogame chegará às lojas nos EUA. A edição especial Project Scorpio, que faz alusão ao codinome de desenvolvimento do X, estará disponível durante a pré-venda.

“O Xbox One X é um produto premium, com capacidades que podem ser comparadas às dos PCs gamers mais modernos,” explicou a UOL Jogos o diretor geral de Xbox no Brasil, Willen Puccinelli. “É um console que completa a família Xbox On no Brasil, mas que estamos lançando pensando apenas no jogador mais assíduo.”

O novo sistema tem como principal novidade a capacidade de rodar games a uma resolução nativa 4K. Assim, jogos que funcionam normalmente no Xbox One comum, ficam ainda mais bonitos no X.

Sobre o preço sugerido de R$ 4 mil, Willen explica: “A Microsoft não tem como objetivo principal lucrar com a venda dos consoles.” De acordo com o executivo, o preço foi escolhido levando em considerações fatores como impostos e equivalência em relação aos preços em outros mercados.

“Por causa do posicionamento premium do Xbox One X, nosso principal produto em termos de vendas continuará sendo o Xbox One S.”

O modelo S do Xbox One, lançado em setembro no Brasil, tem capacidade de processamento bem abaixo daquela possível no X, mas roda os mesmos jogos. Atualmente, ele é vendido oficialmente por R$ 2.200, acompanhado de “Forza Horizon 3” ou “Minecraft”. O modelo clássico do Xbox One também ainda é comercializado no país.

Por fim, Willen revela que o lançamento do Xbox One X não acarretará em quedas nos preços dos outros modelos do console, e que a Microsoft ainda não planeja fabricar o sistema no Brasil. “Acreditamos que a fabricação local pode ser viável. Mas, por ora, continuamos apenas avaliando a possibilidade,” disse.

Fonte: UOL