17/set/2017 16h09

Brasil bate Japão e se sagra tetracampeão da Copa dos Campeões

Time de Renan Dal Zotto supera os japoneses pelo placar de 3 sets a 0 e garante o quarto título consecutivo.

Tetra - 17/set/2017 16h09

Sem dar chance para qualquer surpresa, a seleção brasileira masculina de vôlei confirmou o favoritismo sobre o anfitrião Japão na manhã deste domingo (pelo horário de Brasília) e garantiu o quarto título consecutivo – e o quinto geral – na Copa dos Campeões, na cidade de Osaka.

A equipe comandada pelo técnico Renan Dal Zotto venceu os japoneses pelo placar de 3 sets a 0, com parciais de 25/17, 25/15 e 25/22. Para assegurar o título, no campeonato que é disputado a cada quatro anos, a seleção poderia ceder somente um set ao rival, nesta rodada final do campeonato. O troféu foi garantido sem ceder sequer uma parcial diante dos japoneses, que ocupavam a lanterna da tabela.

Com o resultado, a seleção encerra sua campanha em solo japonês com quatro vitórias – venceu também Estados Unidos, França e Irã – e uma derrota, para a Itália. Trata-se do segundo título conquistado sob o comando de Renan, que antes levara a equipe ao troféu do Sul-Americano, ganhando vaga para o Mundial do próximo ano. Antes, o time foi vice-campeão da Liga Mundial, na final disputada em Curitiba.

O

maior destaque da partida disputada no Osaka Municipal Central Gymnasium neste domingo foi o central Lucão, maior pontuador do duelo, com 16 pontos. A seleção foi escalada ainda com Bruno, Wallace, Maurício Souza, Lucarelli, Maurício Borges e o líbero Thales. Durante o jogo, entraram em quadra Tiago Brendle, Renan, Raphael.

Diante da limitada equipe japonesa, o Brasil teve pouco trabalho para confirmar seu favoritismo neste domingo. A seleção começou o jogo em vantagem e não demorou para abrir 11/6 e depois 15/9. O primeiro set foi fechado com vantagem de oito pontos.

A segunda parcial começou com 3/0 e, depois, 8/4. A diferença chegou a sete pontos, com 19/12 e o set ficou com o Brasil com dez pontos de frente. O panorama foi mantido no terceiro set, com vantagem crescente ao longo da parcial, até o Brasil fechar em 25/22.

Fonte: Estadão