13/set/2017 09h09

Lula já está em Curitiba para prestar depoimento a Moro

Ele irá depor a partir das 14h, na sede da Justiça Federal do Paraná.

segundo depoimento - 13/set/2017 09h09

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva chegou a Curitiba na noite desta terça-feira (12/9) para prestar seu segundo depoimento ao juiz Sergio Moro.

Lula chegou de carro, acompanhado de dois assessores, e passou a noite na casa de um amigo, onde se concentra para a audiência.

Ele irá depor a partir das 14h, na sede da Justiça Federal do Paraná.

O interrogatório é parte do processo penal, e é o momento em que os réus podem se defender pessoalmente da denúncia. Além de Lula, também será interrogado nesta quarta o ex-assessor de Antonio Palocci, Branislav Kontic.

A sede da Justiça Federal será protegida por um esquema de segurança –mas menor do que no primeiro depoimento do petista.

Até as 8h, a polícia não havia nem acionado o perímetro de segurança, que irá bloquear algumas ruas para acesso ao prédio. A movimentação era tranquila e sem aglomeração de manifestantes. É

a segunda vez que o ex-presidente depõe ao magistrado, que conduz os processos da Operação Lava Jato em Curitiba –a primeira foi em maio, quando um forte esquema de segurança impediu o acesso ao prédio da Justiça Federal e evitou confrontos entre manifestantes pró e contra Lula.

Nesta ação, o ex-presidente é acusado de corrupção e lavagem de dinheiro devido a supostas relações ilícitas com a empreiteira Odebrecht. A empresa diz que pagou por um terreno que seria destinado ao Instituto Lula, com dinheiro oriundo de um “caixa de propinas” do PT.

Outdoor contra Lula na entrada da cidade de Curitiba, próximo ao aeroporto (Foto: Marlene Bergamo/Folhapress)

Na semana passada, em depoimento a Moro, o ex-ministro Antonio Palocci afirmou que Lula avalizou um “pacto de sangue” com a Odebrecht, com o pagamento de R$ 300 milhões em vantagens indevidas em troca de manter o protagonismo da empreiteira no governo. O terreno ao instituto estaria incluído nesse valor.

No depoimento desta quarta, Lula deve rebater o depoimento de Palocci e as acusações contra si. Dirigentes petistas pretendem usar o ato para reforçar a mensagem de que haveria uma guerra jurídica contra o ex-presidente. O petista deve chegar à sede da Justiça, mais uma vez, acompanhado de militantes e dirigentes do partido, além dos advogados.

Lula já foi denunciado nove vezes desde que deixou o mandato –a última vez, nesta segunda (11), na Justiça Federal em Brasília, acusado de aceitar promessa para receber recursos ilegais quando presidente.

Ele é réu em seis ações, e foi condenado por Moro em uma delas, a 9 anos e 6 meses de prisão, por corrupção e lavagem de dinheiro na compra e reforma de um apartamento tríplex no Guarujá.

Fonte: Folha de São Paulo