11 de Abril de 2017

Qual a necessidade de realizar o tratamento de efluente de laticínios?

EFLUENTES DE INDÚSTRIAS DE LATICÍNIOS

As indústrias de laticínios, utilizam de água para diversos procedimentos, como: incorporação ao produto, lavagens de máquinas, reservatórios, tubulações e pisos, águas de sistemas de resfriamento entre outros. Essas atividades contaminam a água em diferentes níveis e aspectos, seja por meio de adição de elementos químicos, aumento de temperatura, aumento de carga orgânica ou infecção por agentes patogênicos. (BGNINI e RIBEIRO, 2014)

Assim, antes da disposição destes efluentes, se faz necessária a realização de tratamento conforme as características físicas, químicas e biológicas deste. Os resíduos líquidos gerados nas indústrias de laticínios são aproximadamente cem vezes mais poluentes que o esgoto doméstico pois têm elevada carga orgânica, como consequência da grande quantidade de lipídios, carboidratos e proteínas.(Silva, 2011) Dessa forma, o despejo indevido destes efluentes em mananciais superficiais ou subterrâneos pode causar impactos ambientais consideráveis, de difícil remediação, como por exemplo: a eutrofização de rios, morte de peixes, degradação da qualidade da água (prejudicando abastecimento de cidades localizadas à jusante), entre outros.

TRATAMENTOS CONVENCIONAIS

O tipo de tratamento realizado em efluentes de indústrias de laticínios em sua maioria é do tipo biológico (tratamento secundário), com o uso de lagoas de estabilização, filtros biológicos, lodos ativados e reator UASB, onde existe a remoção de matéria orgânica por meio do metabolismo de microrganismos (bactérias aeróbias e anaeróbias). Antecedendo este tratamento, tem-se o tratamento preliminar e primário, responsáveis pela remoção de sólidos grosseiros, areias, sólidos sedimentáveis, óleos e gorduras.